Como inovar, não esquecendo das nossas essências humanas?

Artigo sobre a importância da inovação para o crescimento sustentável de uma sociedade. Arte: Leonardo Almeida.

Há 100 anos atrás, vivíamos um período pós-revolução industrial, no qual produzir e consumir era a onda da vez.

O Fórum Econômico Mundial de 2018 publicou um estudo no qual aponta: 1-criatividade, 2- pensamento crítico e 3- comunicação como as três habilidades mais importantes para a vida pessoal e profissional nos próximos 100 anos. Como o tempo presente naturalmente sofre interferências do passado enquanto é transformado por um novo comportamento das pessoas, nota-se que atualmente há uma tendência dos consumidores buscar, além das necessidades, as experiências contidas em um produto ou serviço. Essa busca acaba sendo uma forma de não apenas consumir, mas também de criar diversos significados experienciais para a vida.

O reflexo disso são as pesquisas, comparações e questionamentos antes da finalização da compra. A internet colabora nesse processo, trazendo às empresas desafios e necessidade de transformações e inovações constantes. Essa atualização das empresas de produtos e serviços não é designação de apenas uma área (marketing ou vendas – setores comumente conhecidos por oferecer um suporte ao produto e/ou serviço) mas a construção ou adequação de uma cultura de inovação em relação ao mercado para as pessoas.

A inovação é uma atividade criativa que agrega soluções econômicas para as cidades, serviços e produtos. A iniciativa privada tem marcado uma presença maior nesse cenário, mas o incentivo de crescimento nos setores públicos e na educação, colaboram para o crescimento econômico e social sustentável de um país.

Inovar não está apenas conectado ao âmbito digital. Ele é aplicado desde a elaboração de um produto físico ou um serviço como por exemplo o produto Critter Catcher, pegador de insetos. Critter Catcher é um produto de grande sucesso no exterior principalmente porque evita o uso de substâncias químicas e nocivos nas casas das famílias. Além disso, os insetos não são exterminados após o seu uso, eles permanecem ilesos e podem ser devolvidos à natureza. Na área da tecnologia, temos a internet das coisas. Uma rede de dispositivos conectados através da internet para transmitir soluções digitais como: pedir para fazer um café à distância ou ligar a sua máquina de lavar através do celular.

Independente dos meios utilizados para as práticas de inovação, não podemos esquecer da essência que nós adquirimos ao início de nossa existência: somos seres humanos movidas por sentimentos e emoções.

Obrigado pela leitura!

Abraço, Leonardo Almeida. Designer Estratégico da L2A Design.

Autor: Leonardo Almeirda

Sobre o autor: Diretor de Arte, trabalho nas áreas de Fotografia, Ilustração e Design, há 15 anos. Desenvolvo projetos de Sites, E-commerce, Impressos, Identidade Visual e Campanhas Publicitárias no objetivo de otimizar a experiência dos serviços e produtos em benefício dos usuários e organizações.